sábado, 20 de março de 2010

Dia Mundial das Águas


Dia Mundial da Água, 22 de março. Antecipando as comemorações, o Movimento Proparque promove uma Manhã Verde, domingo (21), das 9h às 12h, no Parque Ecológico Rio Branco, em Fortaleza. Da programação, consta uma roda de conversa sobre uma experiência cidadã em Maranguape: O desafio de uma comunidade pobre, no alto da serra, para garantir o próprio abastecimento de água potável. A história foi contada em um livro que será distribuído na ocasião.

As idas e vindas da comunidade, que se uniu para ter direito a água, foi parar na Justiça. Para falar do assunto, foi convidado o engenheiro civil Alexandre Dúlio Vieira Diógenes, que ajudou a reunir os relatos sobre o assunto na publicação intitulada “Comunidade do Cruzeiro - Breve Histórico de uma Água Potável”. Durante a manhã de domingo, o público pode não só conhecer a experiência daqueles moradores, como saber mais sobre esse recurso natural cada vez mais ameaçado em nosso planeta.

A Manhã Verde tem ainda como atração artística a cantora Gigi Castro e banda, com uma apresentação de músicas inspiradas no movimento ambiental. A artista conduz também a formação de cirandas, congregando as pessoas em danças de confraternização Na oportunidade, será lançada a Festa da Vida 2010, evento a ser realizado no dia 6 de junho, em comemoração ao Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho).

Importância da água

A publicação a ser distribuída ao público tem o objetivo de levar as pessoas a refletirem sobre a importância da água.  Veja alguns pontos citados no livro:

. O ar é o primeiro alimento da humanidade e a água o segundo. A falta do primeiro provoca a morte em minutos e do segundo, em dias.

. O uso da água, inclusive a do subsolo, é objeto do direito internacional e disciplinado pela legislação de cada país.

. A água não tem dono. O ar também não. Este por ser invisível, impalpável e difícil de ser armazenado, as pessoas o consideram um bem de todos. Mas a água, ao contrário por ser visível e palpável e de fácil armazenamento, causa a falta impressão de propriedade particular. Não é. O ar e a água são, ambos, bens de todos, imprescindíveis à vida da humanidade, ou seja, bens de domínio público.

. A interrupção de um suprimento de água potável pode ser considerada um atentado contra a vida de seus consumidores.

Mais informações: Ademir Costa e Luísa Vaz, Movimento Proparque – (fone: 85 3254 1303)

Nenhum comentário:

Postar um comentário